Notícias | Grupo Lena

Saltar para conteúdo
Logótipo: Grupo Lena
GL - frases1GL - frases2GL - frases3GL - frases4GL - frases5GL - frases6GL - frases7GL - frases8GL - frases9GL - frases10GL - frases11GL - frases13GL - frases14GL - frases15GL - frases16GL - frases17

Notícias 

3, Outubro 2016

Publicenso cria portais autárquicos inovadores

Publicenso cria portais autárquicos inovadores
A Publicenso desenvolveu uma solução integradora que permite criar portais autárquicos inovadores capazes de comunicar em diversas plataformas web. A empresa de design e projetos web dá assim resposta às necessidades específicas dos municípios, que pela seu papel, apresentam um vasto conjunto de informações e funcionalidades dispersas em diversas plataformas web.

A solução inovadora da Publicenso é única no mercado nacional e tem diversas vantagens em termos de funcionalidade, produzindo sites modernos com maior proximidade e utilidade para o utilizador, a preços competitivos.
Os sites produzidos com esta solução – de que é exemplo o novo portal da Câmara Municipal de Ansião – possuem um layout responsivo, adaptável a qualquer dispositivo móvel (smartphone, tablet), com ligação a sites e aplicações já existentes, disponibilização de todo o histórico do site antigo, mapas interativos para turistas, formulários online para os munícipes, entre outras funcionalidades que permitem ao município manter uma relação de proximidade, utilidade e transparência com os utilizadores do portal.
Carlos Conceição, responsável da Publicenso, dá conta que «há já vários anos que os portais web criados pela Publicenso permitem, não só cumprir com os mais elevados patamares de exigência ao nível das Diretrizes de Acessibilidade para Conteúdo Web (WCAG) 2.0 - W3C – contando no seu portefólio com o desenho e implementação do site do Museu da Comunidade Concelhia da Batalha, um dos sites nacionais mais premiados a este nível –, mas também disponibilizar aos utilizadores uma experiência de navegação intuitiva e inovadora do ponto de vista tecnológico.
Ao contrário da maioria do sites disponíveis no mercado que recorrem a plataformas open source, os websites criados pela Publicenso são desenhados de raiz para cada projeto, garantindo dessa forma, não só maior segurança informática, como também a possibilidade de incorporar configurações específicas, que são concebidas de modo a permitir mais eficácia e eficiência, quer para os utilizadores finais quer para os gestores de conteúdos - que têm à sua disposição uma ferramenta de backoffice criada à medida.
«O facto de toda a programação e design serem da autoria da Publicenso permite-nos desenhar os projetos web à medida de cada Município, sendo possível cada portal transmitir dados em simultâneo para diversas aplicações externas, ou outros websites, de modo a que os dados sejam partilhados de forma imediata e em total segurança», explica ainda Carlos Conceição. «O trabalho desenvolvido pela Publicenso pode complementar ferramentas web já existentes, otimizando a sua atualização, e permitindo aos municípios divulgar simultaneamente informações de interesse geral a diversos públicos-alvo, e de acordo com necessidades específicas», garante o responsável.
Entre os projetos já concluídos nesta área pela Publicenso, destaca-se o novo website institucional do Município de Ansião.

16, Setembro 2016

Toda a manchete do Correio da Manhã é total e completamente FALSA

Declarações atribuídas ao CEO do Grupo Lena nunca foram proferidas. Esclarecimento:

1.    Toda a manchete do Correio da Manhã de hoje é total e completamente FALSA;
2.    As declarações atribuídas ao CEO do Grupo Lena, Joaquim Paulo da Conceição, pura e simplesmente nunca foram proferidas, nem em declarações no processo nem noutra qualquer situação, nem poderiam ser, uma vez que não correspondem ao seu pensamento nem ao conhecimento que tem do processo;
3.    O CEO do Grupo Lena não foi ouvido na qualidade de arguido, que não é, mas sim de testemunha, sendo portanto também falsa essa alegação;
4.    Inacreditavelmente – não se sabe com que intenção - o que se passou foi que o CM não soube ler o processo e confundiu a explanação dos factos apresentados pelo Ministério Público com as declarações do CEO do Grupo Lena Joaquim Paulo da Conceição.
5.    Se o Correio da Manhã tivesse contactado o Grupo Lena antes da elaboração da peça – falha que comete reiteradamente, numa atitude persecutória ao Grupo Lena –, como era seu dever, ter-lhe-ia sido dito isso mesmo, mas aí os factos e a verdade teriam estragado uma manchete do Correio da Manhã, o que seria desastroso para o jornal e as suas fontes;
6.    Mais do que um ataque ao Grupo Lena e aos seus colaboradores, esta manchete do Correio da Manhã é um ataque à democracia, à liberdade de Imprensa e ao Estado de Direito;
7.    O Correio da Manhã e/ou as suas fontes inventaram declarações e provas e o jornal propagou uma mentira difamatória sem sequer tentar assegurar o mínimo contraditório, o que é obrigatório em qualquer circunstância e, por maioria de razões, numa situação que coloca gravemente em causa a honra e a reputação de um profissional e de um grupo de empresas;
8.    É inominável que, a pretexto de se justificarem determinadas teorias, se lance na lama a reputação de pessoas e empresas, de forma injustificada, cruel e despudorada, colocando em causa a sobrevivência de um grupo de empresas e a manutenção dos mais de dez mil postos de trabalho que, direta ou indiretamente, assegura nas várias geografias em que atua;
9.    Já foram dadas instruções aos advogados do Grupo Lena para ser intentada mais uma ação judicial contra o Correio da Manhã, não porque isso possa compensar o mal já perpetrado, mas porque tem de ser feita, seja em que momento for, alguma justiça;
10.    O Grupo Lena recorrerá igualmente a todos os meios legais ao seu alcance para tentar cessar esta perseguição do Correio da Manhã e das suas fontes, e ser de alguma forma ressarcido dos incomensuráveis prejuízos, de diversa índole, que tem tido com este processo;
11.    Não obstante esta perseguição, o Grupo Lena continuará, como até aqui, a colaborar ativamente com a Justiça e a investigação deste processo, na certeza de que só essa disponibilidade, que tem sido e continuará a ser total e completa, permitirá o apuramento cabal dos factos.
 

newsletter