Notícias | Grupo Lena

Saltar para conteúdo
Logótipo: Grupo Lena
GL - frases1GL - frases2GL - frases3GL - frases4GL - frases5GL - frases6GL - frases7GL - frases8GL - frases9GL - frases10GL - frases11GL - frases13GL - frases14GL - frases15GL - frases16GL - frases17

Notícias 

14, Novembro 2016

Lena Agregados com centro de produção em Alenquer

Lena Agregados com centro de produção em Alenquer
No âmbito da sua estratégia de posicionamento no mercado nacional, a Lena Agregados há muito sentiu a necessidade de se afirmar de forma mais consistente numa das atuais zonas de mercado com maior dinâmica e maturidade. Assim sendo, iniciou a implantação de um centro de produção de massas asfálticas em Alenquer, Lisboa.
Os critérios que consolidaram a tomada de decisão para a atuação na plataforma geográfica do mercado de Lisboa resultaram da conjugação de vários fatores e sinergias, para além de uma análise da viabilidade económica do projeto. 
Este novo centro de produção irá permitir alavancar fortemente a competitividade dos clientes fidelizados desta área geográfica, proporcionando uma maior abrangência no raio de ação e, por conseguinte, aumentar a quota de mercado. É igualmente pretensão do projeto criar parcerias estratégicas com outros intervenientes na mesma área de negócio, complementando-o, e rentabilizar a utilização da Central de Betuminoso “Intrame UM 200”, atualmente inativa.
12, Outubro 2016

Sinalização Vertical em Material Polimérico

Sinalização Vertical em Material Polimérico
A Ecopaint viu aprovada a sua candidatura ao Portugal 2020 - Programa Operacional Competitividade e Internacionalização, com o projeto SinalPlas, na tipologia de Projeto de Investigação e Desenvolvimento Tecnológico.

Com um investimento total superior a 440 mil euros e um financiamento de 236 mil euros, o projeto SinalPlas pretende conceber sinalização vertical temporária e definitiva a partir da técnica de injeção em molde de materiais poliméricos que incorporem materiais reciclados, de modo a obter produtos de maior resistência à corrosão, mais leves, de fácil manuseamento e transporte, ecologicamente menos onerosos, e com características totalmente inovadoras, nomeadamente a autolimpeza e a fotoluminescência.

 

Este inovador produto pretende dar resposta aos problemas relacionados com a sustentabilidade e a manutenção da sinalética de trânsito existente. A natureza metálica torna-os dispendiosos e acarreta problemas de corrosão. Por outro lado, é conhecida a elevada tenacidade dos plásticos em termos de resistência à corrosão, com um maior tempo de vida e uma maior recuperação elástica. Na procura por alternativas, considerou-se igualmente os custos ambientais e os custos das matérias- primas.


O projeto SinalPlas pretende criar sinalética vertical de trânsito a partir de polímeros recicláveis. Serão ainda adicionados agentes que incrementarão a homogeneidade e o tempo de vida. Moldagem por injeção é a tecnologia envolvida na produção, por ser menos onerosa que as tecnologias transformadoras dos metais e por ser ambientalmente menos comprometedora e com menores custos energéticos associados à fabricação e à degradação. Para a redução dos custos contribui ainda um tratamento superficial que dificulta a aderência dos pigmentos das práticas de grafiti, enquanto assegura a autolimpeza. A resistência a variações térmicas constitui outro ponto a favor dos polímeros, dificultando a deposição de gelo. De referir ainda que está prevista a introdução de aditivos fotoluminescentes.


A equipa envolvida está na posse de elevado conhecimento do ponto de vista científico e tecnológico e conta com a vantagem de se localizar numa zona de grande densidade tecnológica na área dos polímeros, como é a Marinha Grande.


O projeto SinalPlas visa desenvolver duas tipologias de produto que encerram uma solução ainda inexistente no mercado. Por um lado, sinalética vertical de carácter permanente (15-20 anos) a partir de materiais reciclados, nomeadamente politereftalato de etileno (PET), entre outros num registo de injeção de mono ou multimaterial. E por outro lado, sinalética vertical de carácter temporário (1 a 5 anos) a partir de materiais de natureza polimérica num registo de mono ou multimaterial.


Pretende-se ainda executar estudos com vista à construção de sinalética vertical de carácter permanente e temporário recorrendo ao processo de “in-mould labelling” (produção da placa e laminagem em um só passo).


O SinalPlas traduz a visão estratégica e a aposta da promotora líder, a Ecopaint, num forte investimento em atividades de inovação, investigação e desenvolvimento tecnológico, com recurso a centros de saber que, pela transferência de conhecimentos, irão permitir o desenvolvimento e a otimização de novos processos, bem como a criação de novos ou melhorados produtos de elevado desempenho, que incorporam um intensivo conteúdo tecnológico e valor acrescentado para o mercado.

newsletter